"Na desgraça fria do espelho, eu quero saber o que é isso que me tornei."

Valentine

"O asfalto é minha casa, mas não da pra chamar de lar. É tão vazio, tão frio, tão fora do lugar"

Relato de Um Homem de Bom Coração

"Jogarei fora a minha fé, amor, apenas para mantê-la segura. Você não sabe que você é tudo que eu tenho?."

Angel With a Shotgun

"Talvez iremos dar a volta por cima, porque não é tarde demais. Nunca é tarde demais."

Never Too Late

"Eu sei que você já ouviu antes, mas não tinha sido o suficiente. E agora o suficiente é muito."

Substitution

29 de mai de 2015

Deep Inside



Os olhos de Terry se abriram, suas pupilas estavam enormes na escuridão.

– Mãe? – disse, com a voz dopada e pesada.

Estava escuro no quarto, tão escuro que Ig duvidava de que o irmão fosse capaz de identificar algo além de sua forma meio vaga parada ali. Ig botou a mão atrás das costas, apertando o cabo da faca. Ig abriu a boca para falar alguma coisa. Pretendia mandar Terry voltar a dormir, o que era a coisa mais absurda a se dizer. Mas, quando falou, sentiu o sangue pulsando em ondas nos chifres e a voz que saiu de sua boca não era sua, mas de sua mãe. Não era uma imitação voluntária. Era ela.

– Volte a dormir, Terry – disse.

Ig ficou tão impressionado que deu um passo para trás e esbarrou na mesa de cabeceira. Um copo d’água bateu de leve na luminária. Terry fechou os olhos de novo, mas começou a tremer de leve, como se fosse se levantar no instante seguinte.

– Mãe, que horas são?

Ig baixou os olhos para o irmão. Não se perguntava como tinha feito aquilo, evocado a voz de Lydia, só queria saber se poderia fazer de novo. Já sabia como tinha conseguido. O Diabo podia, é claro, falar com a voz dos entes queridos e dizer às pessoas aquilo que elas queriam ouvir. O dom das línguas… o truque favorito do Diabo.


28 de mai de 2015

Cereja





– Com licença – disse Ig.

– Sim? – perguntou a senhora que estava mais perto dele, uma mulher grande, com o cabelo pintado num tom castanho metalizado.

Ig apontou o dedo para o banco e balançou a cabeça.

– Havia uma menina aqui, no domingo passado. Ela deixou uma coisa sem querer e eu gostaria de devolver para ela. Uma de cabelos ruivos…

A mulher não respondeu, mas continuou parada no mesmo lugar, apesar de o corredor estar vazio o bastante para que ela saísse. Finalmente Ig percebeu que a senhora estava esperando que ele fizesse contato visual. Quando o fez, ela o encarava com os olhos apertados, uma expressão de que sabia, e ele sentiu seu pulso disparar.

– Merrin Williams – disse a mulher. – Seus pais só estavam na cidade no fim de semana passado para tomar posse de sua nova casa. Eu é que fiz a venda e os trouxe à igreja. Eles agora estão em Rhode Island, empacotando as coisas. Ela estará aqui no domingo que vem. Tenho certeza de que em breve voltarei a vê-los. Se você quiser, posso entregar a Merrin o que ela deixou aqui.

– Não – disse Ig. – Tudo bem.

– Ahã – disse a mulher. – Achei mesmo que você iria preferir entregar pessoalmente.Você está com aquela cara.

– Que… que cara? – perguntou Ig.

– Eu até poderia dizer, mas estamos na igreja.

26 de mai de 2015

Largeur




Para suportar minha seriedade, minha paixão, é necessário possuir uma integridade intelectual levada aos limites extremos. Estar acostumado a viver no cimo das montanhas — e ver a imundície política e o nacionalismo abaixo de si. Ter se tornado indiferente; nunca perguntar se a verdade será útil ou prejudicial… Possuir uma inclinação — nascida da força — para questões que ninguém possui coragem de enfrentar; ousadia para o proibido; predestinação para o labirinto. Uma experiência de sete solidões. Ouvidos novos para música nova. Olhos novos para o mais distante. Uma consciência nova para verdades que até agora permaneceram mudas. E um desejo de economia em grande estilo — acumular sua força, seu entusiasmo… Auto-reverência, amor-próprio, absoluta liberdade para consigo…

Muito bem! Apenas esses são meus leitores, meus verdadeiros leitores, meus leitores predestinados: que importância tem oresto? — O resto é somente a humanidade. — É preciso tornar-se superior à humanidade em poder, em grandeza de alma — em desprezo…

Friedrich Nietzsche


12 de mai de 2015

Inner Force




Search your inner strength, find the self within
Explore your consciousness, set out on your quest
I'm an illusion
Maybe not real
Just a reflection
Of inner fears that drowned your beliefs

Here I come through space and time
Born from your nightmares
But modeled byt energy of life

You can decipher
From night I rise
An improved version
Of everything you didn't dare to start

Don't you recognize your eyes in mine?
If you only looked up in the sky
You would be able to see
The sun rises always near
Every morning shines and waits for you to live

You have fed your perfect hell, have built your fears
Have set your downfall

You have fed your perfect hell,
Have built your fears: Have set your downfall
Seek deep in your soul and you will find the true self
That lies within you, deep down inside